sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Let's tend and befriend!


Let's tend and befriend!


Estudos revelam que, ao atravessar períodos complicados nas suas vidas, as mulheres põem em marcha um comportamento conhecido por tending and befriending, que não é mais do que uma propensão para procurar a companhia dos amigos íntimos ou reforçar a sua afetuosidade e cuidados para com os filhos ou animais de estimação. E fazem-no não por ser um padrão social, mas porque a bioquímica dos seus cérebros está programada para que elas procurem e recorram a relacionamentos, muito em função da libertação de oxitocina - o chamado hormônio do bem-estar - que isola o stress. E quanto mais convivem e cultivam as amizades, mais oxitocina é libertada e mais os níveis de stress são reduzidos.
Ao contrário dos homens, que tendem a isolar-se quando vivem situações difíceis, talvez por acharem que é sinal de fraqueza expor as suas dores ou problemas, as mulheres conseguem com este tending and befriending desenvolver menos problemas físicos à medida que envelhecem e levar uma vida mais alegre que o sexo oposto.
Investigações de renome, como a Nurses' Health Study de Harvard, demonstraram que a ausência de amigos íntimos ou de confidentes é tão prejudicial à saúde de uma mulher como fumar ou ter excesso de peso!
Um comportamento feminino que é tantas vezes criticado ou parodiado tem, afinal, uma explicação fisiológica testada cientificamente.
Postar um comentário