sábado, 27 de fevereiro de 2010

MENTIRA, A PROVA MAIOR DE FALTA DE CARÁTER


MENTIRA, A PROVA MAIOR DE FALTA DE CARÁTER - Tony Ayres

Qualquer profissional que milita na área da saúde mental conhece bem o que Ana Freud (a filha de Sigmund Freud), deixou muito bem estabelecido em seu livro: "O ego e os mecanismos de defesa" - os mecanismos de defesa, propriamente ditos, que foram nominados, como: regressão, negação, projeção, introjeção, identificação,etc.

Ora, os mecanismos de defesa são geralmente negativos, porque fazem parte da neurose e trabalham o tempo todo a fim de que a pessoa não enfrente seus problemas de frente, utilizando-os como "válvulas de escape" ou "saídas pela tangente" inconscientes, provocando assim, a perenização da doença.

No entanto, desejo falar aqui de um outro "mecanismo de defesa" (entre aspas mesmo), o qual as pessoas incapazes de construírem em si mesmas um caráter forte, maduro e confiável, acabam por desenvolver, esperta e conscientemente.
Refiro-me à essa erva daninha emocional chamada mentira.

Por causa da mentira, pessoas foram levadas às fogueiras, inocentes foram condenados à morte, países foram tiranizados, crianças foram sacrificadas, pais de família perderam seus empregos, corações foram dilacerados, casamentos foram desfeitos, pessoas enlouqueceram de dor, pobres ficaram mais pobres, ricos ficaram mais ricos... e a lista pode ir aumentando "ad nauseam".

A mentira é negativa porque revela: fraqueza, incapacidade, covardia perante os próprios atos, imaturidade, desconsideração para com as demais pessoas, narcisismo, mas principalmente.... mau-caratismo.

É por isso que, via de regra, todo mentiroso é um mau caráter. Poderia, para ilustrar este texto, utilizar-me do tão conhecido exemplo da mentira dos políticos. Mas essa já está por demais conhecida e até banalizada.

Prefiro, para não ir muito além de meu propósito, neste artigo, limitar-me tão somente à mentira relacional - mentira em que um (ou os dois) dos parceiros sentimentais, grotescamente, dela se utiliza, para fraudar e enganar o coração do parceiro, numa relação de amor, por exemplo.

Conheço ( e você também deve conhecer!) um batalhão de pessoas estropiadas por completo na vida, porque, infelizmente, foram impiedosamente enganadas por outras em quem sempre acreditaram leais, e a quem devotavam a mais pura e cega confiança, o mais belo, cuidadoso e devotado amor...
Mas...foram apunhaladas pelas costas.

Pessoas que ferem, sem piedade, como foi dito, e pisoteiam o coração de outras, que as amam, tratando-as como tijolos ou pedras; e não como seres humanos que possuem alma, coração e sentimentos, estão mais perto da animalidade irracional do que da humanidade concedida pelo Criador.

Por isso, o seu "mecanismo de defesa" não merece eufemismos, não.

São, para vergonha delas, hipocrisia e falta de caráter, sim - um câncer que invade e toma conta da alma de seres humanos mesquinhos e rasteiros, movidos pela única força que conhecem: a nojenta força do egoísmo.

Que Deus nos proteja de tais pessoas! E que tenhamos a capacidade de discernimento para reconhecê-las e afastarmo-nos delas!

(Tony Ayres é professor e psicanalista, bacharel em teologia e educador)
Postar um comentário