quarta-feira, 11 de março de 2015



Extravagância das mulheres 


Os homens queixavam-se da extravagância das mulheres, que quase se nivela a deles próprios. Em Florença, no correr de meio século, entre 1343 e 1396, foram decretados sete conjuntos diferentes de leis, em uma tentativa de ser regulado o número de saias que uma mulher deveria ter, o comprimento da cauda que poderia usar, o preço dos tecidos e ornamentos e até mesmo a profundidade de seu decote – embora este último tivesse mais a ver com as distinções de classes do que com a economia.


“As belezas nuas tiveram que se velar e depois, logo em seguida, cobrir cada centímetro de sua carne pecadora sob pesados tecidos sombrios, à moda espanhola, tornada dominante para as elites sociais de toda a Europa. A segunda metade do século XVI e os primeiros decênios do seguinte ordenaram insistentemente às mulheres que cobrissem o seio que a moda lhes permitia às vezes mostrar e entrassem na linha.”, diz o historiador Robert Muchembled.

Trecho de "O Livro do Amor", de Regina Navarro Lins.
Postar um comentário